Saga de Poseidon

Mangás

Introdução

Saga de Poseidon

A Saga de Poseidon foi publicada nas páginas da revista japonesa Weekly Shonen Jump, da Editora Shueisha, de forma semanal, entre Março de 1988 e e Fevereiro de 1989, totalizando 21 capítulos.

No Brasil, ela foi lançada inicialmente pela Conrad Editora entre Setembro de 2002 e Abril de 2003, totalizando 9 volumes. Depois foi relançado pela própria Conrad Editora entre Julho de 2005 e Outubro de 2005, com os mesmos 9 volumes. Já em 2013, a Editora JBC lançou no formato idêntico ao japonês, desta vez com 5 volumes entre Março de 2013 e Julho de 2013.


Julian Solo pede Saori Kido em casamento, mas acaba rejeitado!
Julian Solo pede Saori Kido em casamento, mas acaba rejeitado!

Capítulo 1: "O Templo Submarino"

"Kaitei Shinden"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Janeiro de 1989; no Brasil: Março de 2013 (Editora JBC)

Saori e Tatsumi estão na festa de aniversário de 16 anos de Julian Solo. Por haver muitas celebridades lá, Tatsumi considera a festa um exagero, porém Saori lembra o mordomo que Julian se tornou o herdeiro da fortuna do pai que era um grande comerciante marítimo. O aniversariante fica feliz, pois ele ouve o comentário de Saori e leva-a na varanda da mansão para terem uma conversa em particular. Julian pede Saori em casamento, pois ele acha que os dois estão predestinados, mas considerando tudo uma piada ela simplesmente nega o pedido retira-se dali. Julian fica inconformado com Saori, porém ele acaba vendo ao longe, na ponta do Cabo Sunion (um rochedo próximo à mansão) uma luz. Enquanto isso, Saori dorme no quarto de hóspedes da mansão e ela é sequestrada por um cavaleiro com uma armadura diferente, mas Aiolia de Leão a salva. Julian segue a luz até o Cabo Sunion, onde ele acha um tridente, então uma jovem vestindo uma armadura aparece e diz que ele é o deus dos mares Poseidon. Surpreso com a notícia, ele permite que ela o leve ao Templo Submarino, que é o Santuário de Poseidon que fica no fundo do mar. Três dias depois, chove sem cessar no mundo inteiro, cidades litorâneas estão sendo inundadas por causa de tsunamis e maremotos. Na mansão Kido, Saori fica preocupada com esses eventos catastróficos e ela quer descobrir a causa de tudo isso, então ela é surpreendida pela jovem que estava no Cabo Sunion, ela se apresenta como Thétis de Sereia e conta que tudo está sendo causado por Poseidon. Ela (junto de alguns soldados marinas) quer levar Saori até o Templo Submarino, porém Seiya aparece e salva a deusa, enquanto Thétis foge. Tatsumi manda Pégaso segui-la, mas ele acaba desmaiando.


Aldebaran de Touro fura os tímpanos para tentar evitar o golpe de Sorento!
Aldebaran de Touro fura os tímpanos para tentar evitar o golpe de Sorento!

Capítulo 2: "A melodia da morte"

"Shi no Merodi"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Janeiro de 1989; no Brasil: Março de 2013 (Editora JBC)

Seiya é levado de volta para a UTI. da Fundação Graad, onde está hospitalizado também Shun, Shiryu e Hyoga. O médico diz que não há previsão de quando eles sairão do coma. No Templo Submarino, Thetis conta o ocorrido para o General Dragão Marinho. Ela diz que é melhor derrotar Atena o mais depressa possível. O General Sorento de Sirene se oferece para ir até o Japão e eliminá-la. No hospital, Aldebaran de Touro chega para ser o segurança de Saori, já que ela não quer ir até o Santuário enquanto os Cavaleiros de Bronze não se recuperarem. Durante a noite, Sorento de Sirene aparece, tocando sua flauta, então ele corta a cabeça de Aldebaran, que simplesmente desvia do golpe e dispara o Grande Chifre contra o General de Poseidon. Sorento sai ileso do golpe e continua tocando a flauta, afetando os sentidos e o cosmo do Cavaleiro de Ouro. Usando o golpe Sinfonia Final da Morte, Sorento paralisa o corpo de Aldebaran, que fura seus tímpanos para não continuar ouvindo a melodia da flauta de Sirene. O Cavaleiro de Touro diz que está preparado em se sacrificar para salvar os Cavaleiros de Bronze. Sorento então solta o seu último golpe, o Clímax Final da Morte, que explode o corpo de Aldebaran, só restando a Armadura de Ouro de Touro, mas o General de Poseidon fica paralisado com o cosmo do Cavaleiro de Ouro que ainda persiste em proteger os cavaleiros.


Julian Solo é coroado o Imperador dos Oceanos, o deus Poseidon!
Julian Solo é coroado o Imperador dos Oceanos, o deus Poseidon!

Capítulo 3: "Coroação! O Rei dos Mares Poseidon!"

"Taikan! Kaio Poseidon!"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Janeiro de 1989; no Brasil: Março de 2013 (Editora JBC)

No Templo Submarino, Julian Solo é coroado o Imperador dos Oceanos. Ele prevê que, em 30 dias, a Terra estará submersa, mas Thetis diz que é melhor não declarar vitória ainda, pois Atena pode se intrometer nos planos dele. Sorento aparece dizendo que eles não devem se preocupar, pois os Cavaleiros do Zodíaco não vão incomodar mais. Ele apresenta então o elmo do Cavaleiro de Touro que foi derrotado. Ele diz também que diferente dos cavaleiros, ele não pode dizer o mesmo de Atena, então Saori aparece. Todos ficam surpresos, Sorento diz que não teve como impedi-la de segui-lo, pois ele sentiu um medo mortal dela. Saori e Julian ficam surpresos ao verem que o outro é a reencarnação de seu inimigo de eras. Ele ordena para os Marinas os deixarem a sós. Saori pede que ele pare com as chuvas, mas Julian não aceita, pois somente como na história da Arca de Nóe, só com a inundação do mundo é que ele vai eliminar os homens que destroem atualmente o planeta. Julian repete o pedido de casamento para juntos eles dominarem o mundo, mas ela nega novamente, então ele diz que a única opção é ela se sacrificar. Ele mostra para ela que o Templo é sustentado por sete pilares que representam os sete mares e mais um pilar, o Pilar Principal, que é a base de toda a sustentação do mar acima do Templo, para que ele não seja inundado. Então ele prende Saori dentro do Pilar e diz que ela deverá receber toda a água destinada para a inundação da Terra. Em Rozan, Thetis vai falar com o Grande Mestre e declarar Guerra contra o Santuário, pois ela conta que Saori está presa no Pilar Principal e que eles estão preparados caso os Cavaleiros de Ouro queiram enfrentar Poseidon e seu exército. Nesse momento, os Cavaleiros de Bronze aparecem e dizem que eles bastam para derrotar Poseidon e os Generais Marinas. Thetis vai embora e fala que ficará esperando-os, Shiryu lamenta que suas armaduras foram destruídas, mas Kiki aparece com as quatro urnas das armaduras de bronze.


Seiya e os outros Cavaleiros de Bronze vestem as novas armaduras restauradas por Mu
Seiya e os outros Cavaleiros de Bronze vestem as novas armaduras restauradas por Mu

Capítulo 4: "Ressurreição! As Novas Armaduras"

"Fukkatsu! Nyu Kurosu"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Janeiro de 1989; no Brasil: Março de 2013 (Editora JBC)

Seiya e os outros vestem as armaduras que foram ressuscitadas com o sangue dos Cavaleiros de Ouro. Kiki usa seu faro e segue o cheiro de Thetis, levando os Cavaleiros de Bronze até o Santuário Submarino, onde o General Dragão Marinho repreende Thetis por ter sido seguida. A marina de Sereia conta para os cavaleiros que se eles quiserem salvar Atena, eles deverão destruir primeiro os sete pilares que sustentam o Santuário, porém cada um é protegido por um General Marina. Então os cavaleiros separam-se para poder salvar Saori mais depressa. Seiya derrota alguns Marinas que estão no caminho do Pilar do Pacífico Norte. Ao chegar ao pilar, ele utiliza os Meteoros de Pégaso para derrubá-lo, mas o General Bian de Cavalo Marinho protege o pilar. Vendo que a luta é inevitável, Seiya utiliza seus Meteoros no General, que não sofre dano algum, e revida com o golpe Sopro Divino. Pégaso utiliza mais uma vez seu golpe, que continua sendo inútil e recebe mais uma vez o contra-ataque de Bian. Para encerrar a luta, Cavalo Marinho utiliza a técnica Ventos de Tempestade que lança Seiya para o mar, fazendo-o atravessar o Oceano e chegar até a superfície. Porém Pégaso não se da por vencido, ele volta e utiliza mais uma vez os Meteoros, que dessa vez acertam Bian.


O General Marina Bian fica surpreso por ver que Seiya conseguiu acertá-lo!
O General Marina Bian fica surpreso por ver que Seiya conseguiu acertá-lo!

Capítulo 5: "As Armaduras de Bronze reluzindo douradas!"

"Kin'iro no Buronzu Kurosu!"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Março de 1989; no Brasil: Abril de 2013 (Editora JBC)

Bian fica surpreso por Seiya o ter acertado. O Cavaleiro de Bronze repete o golpe que mais uma vez surte efeito. A explicação está na armadura de Pégaso, que começa a reluzir dourada, como o sangue dos Cavaleiros de Ouro é que foram utilizadas para ressuscitar as armaduras, elas ficaram mais fortes. Seiya usa mais uma vez os Meteoros e revela que o modo de Bian se defender é igual o de Misty de Lagarto, então não funcionará mais com ele. O General Marina revida com o golpe Sopro Divino, mas Pégaso defende-se falando que um golpe não funciona duas vezes com um cavaleiro. Seiya eleva seu cosmo e sua armadura volta a ficar dourada, ele usa o Cometa de Pégaso, derrotando Bian que antes de morrer, avisa que Seiya não conseguirá derrubar o pilar. O Cavaleiro utiliza o Cometa de Pégaso e depois os Meteoros, e ambos nem arranham o pilar. No Templo de Poseidon, Kiki está inquieto e acaba irritando Thetis que parte para cima do aprendiz de cavaleiro, porém Shina aparece com uma urna de armadura e diz que será adversária da Marina de Sereia. Kiki leva a urna para Seiya, é a Armadura de Libra, e o cavaleiro de Pégaso tem que escolher uma das armas para destruir o pilar. A própria armadura sugere que ele utilize o escudo, então Seiya destrói o Pilar do Pacífico Norte e começa chover no local. O Cavaleiro e Kiki voltam para o Templo onde ele encontra Shina, em seguida ele parte rumo ao Pilar do Atlântico Sul enquanto Kiki leva a armadura para outro cavaleiro. Shun chega até o Pilar do Pacífico Sul e sua corrente reage contra uma silhueta, mas ao ver que é uma mulher, Shun impede o ataque, porém, dos pés da mulher sai seis bestas que o ataca, ele se protege graças às suas correntes.


Shun terá que enfrentar Io de Scylla, o General Marina do Pilar do Atlântico Sul!
Shun terá que enfrentar Io de Scylla, o General Marina do Pilar do Atlântico Sul!

Capítulo 6: "Combate Mortal! O Pilar do Pacífico Sul"

"Shito! Saosu Pashifikku Pira"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Março de 1989; no Brasil: Abril de 2013 (Editora JBC)

Io de Scylla apresenta-se para Shun como o protetor do Pilar do Pacífico Sul e conta a história da lenda de Scylla. Ele ataca Shun com a Águia Poderosa, e a defesa de Shun não funciona contra o General. O Marina diz que uma mesma defesa não funciona mais de uma vez contra ele, então ele usa mais golpes contra Andrômeda: Fúria do Lobo, Ferrão de Abelha Rainha, Serpente Assassina, Ataque Vampiro e Urso Infernal. Io decide eliminar Shun com o golpe Ferrão de Abelha Rainha, mas Shun protege-se usando a Teia da Aranha de Andrômeda, uma modificação da Corrente de Andrômeda. Assim, Shun protege-se de cada golpe de Scylla com modificações de sua corrente: Rede de Andrômeda (para a águia), Espiral de Andrômeda (para a cobra), Bumerangue de Andrômeda (para o morcego), Armadilha de Andrômeda (para o lobo) e Grande Captura de Andrômeda (para o urso), esse último, prendendo o General Marina.


Shun derruba o pilar utilizando uma das armas da Armadura de Ouro de Libra!
Shun derruba o pilar utilizando uma das armas da Armadura de Ouro de Libra!

Capítulo 7: "As Correntes Douradas!"

"Kin'iro no Chen!"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Março de 1989; no Brasil: Abril de 2013 (Editora JBC)

Shun usa a Corrente Nebulosa para derrubar o pilar, mas não surte efeito. Io desprende-se da corrente e ataca Shun com o golpe Tornado Violento. Mesmo machucado, Shun persiste em derrubar o pilar com sua corrente, mesmo com Io usando repetidas vezes o seu golpe. Até que Shun divide o Tornado em dois ao elevar seu cosmo, e assim, sua armadura reluz dourada e ele prende novamente Scylla com as correntes. Kiki chega com a Armadura de Libra e Shun escolhe a Barra dupla para derrubar o pilar, mas ao lançá-lo, Io pula na frente e recebe o impacto do golpe que mesmo assim, atinge o pilar que é derrubado. Antes de morrer, Io alerta Shun, dizendo que ele deve parar de ter dó de seus adversários. Shiryu chega ao pilar do Índico, onde encontra o General Krishna de Chrysaor.


Krishna de Chrysaor ataca Shiryu de Dragão com a sua poderosa Lança Dourada!
Krishna de Chrysaor ataca Shiryu de Dragão com a sua poderosa Lança Dourada!

Capítulo 8: "Lança Dourada vs Excalibur"

"Goruden no Ransu VS Ekusukariba"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Março de 1989; no Brasil: Abril de 2013 (Editora JBC)

Krishina nem deixa Shiryu se apresentar, pois para ele o Cavaleiro de Dragão vai ser derrotado rapidamente. O Marina fere Shiryu várias vezes, então ele se prepara para dar o último golpe, a Lança Dourada, o Cavaleiro de Bronze tenta se defender com seu escudo, porém a lança transpassa tanto o escudo quanto o corpo do Dragão. Shiryu ainda tenta quebrar a lança, mas ela é muito resistente, então ele cai ao chão e tem uma visão em que Shura de Capricórnio fala sobre a Excalibur, que ela reside em Shiryu como presente de Shura. O Cavaleiro de Bronze se levanta, vendo a perseverança dele, Krishina pede para o dragão se apresentar. O General Marina usa mais uma vez a Lança Dourada, mas dessa vez o escudo do dragão (que reluz dourado) impede o golpe. Shiryu tenta mais uma vez destruir a lança com a Excalibur, mas o golpe não surte efeito. Krishina usa outro golpe, o Lança-relâmpago, o Cavaleiro de Dragão cai novamente, mas ele impede o general de dar o golpe de misericórdia. Levantando-se, Shiryu retira a sua armadura para poder elevar o seu cosmo, então ele usa a Excalibur que dessa vez quebra a lança dourada.


Krishna utiliza a técnica Maha Roshini para deter o Cavaleiro de Dragão!
Krishna utiliza a técnica Maha Roshini para deter o Cavaleiro de Dragão!

Capítulo 9: "Acerte o ponto vital!"

"Seimeiten wo Kire!"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Maio de 1989; no Brasil: Maio de 2013 (Editora JBC)

Não é somente a lança que se quebra, a escama de Krishina de Chrysaor parte-se ao meio. O general então se senta numa posição de meditação e começa a levitar, formando uma barreira de ar à sua frente, não permitindo que nada passe por ela. Shiryu tenta usar o golpe Dragão Voador, mas o golpe volta contra si. Krishina fala para Shiryu sobre os seus Chakras, o dragão percebe então que os Chakras são como os pontos vitais, ele teria de destruí-los para derrotar o general, mas o Marina usa o golpe Maha Roshini. Shiryu se mantém de pé e eleva seu cosmo, fazendo com que o dragão apareça em suas costas, então ele usa o Cólera do Dragão, mas o golpe não surte efeito por causa da barreira. O Cavaleiro de Bronze começa perceber que sua visão está ficando mais fraca, Krishina avisa que é resultado do Maha Roshini. Krishina se prepara para dar o golpe final, então o dragão clama por Atena, assim ele acaba enxergando a silhueta do general e os sete Chakras dele. Shiryu usa a Excalibur e vence o General Marina.


O General Marina do Antártico engano Hyoga ao se transformar no Camus de Aquário!
O General Marina do Antártico engano Hyoga ao se transformar no Camus de Aquário!

Capítulo 10: "O caçador de corações"

"Kokoro no Karyudo"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Maio de 1989; no Brasil: Maio de 2013 (Editora JBC)

Hyoga está indo para o Pilar do Oceano Antártico, porém ele acha que está andando em círculos, até que ele chega ao pilar e encontra seu mestre Camus de Aquário, mas ele percebe que é uma farsa e ataca o General Marina. No Pilar do Oceano Índico, Kiki entrega a urna de Libra para Shiryu que usa a Espada para destruir o Pilar. Os generais Dragão Marinho e Sorento de Sirene conversam e falam que os Cavaleiros de Bronze irão perecer ao enfrentar Kasa de Lymnades. Hyoga enfrenta o Marina, mas ele insiste em dizer que é o verdadeiro Camus, para provar, ele usa o Execução Aurora que lança Hyoga longe. Vendo que é o seu mestre, Hyoga abraça o Cavaleiro de Ouro. Seiya chega ao Pilar, mas ele vê que chegou ao Pilar do Oceano Antártico ao invés do Atlântico Sul. Ali ele se encontra com Marin de Águia. Seiya a questiona, então a Amazona revela ser Seika, a irmã de Seiya e tira a máscara para provar. Shun que ia até o Pilar do Atlântico Norte, sente a mesma sensação que ele sentiu na Casa de Gêmeos, ele chega ao Pilar, mas vê que é o do Antártico, no chão ele encontra Seiya e Hyoga caídos. Aparece Ikki de Fênix, contente em se reencontrar com seu irmão, Shun o abraça, mas graça às correntes, ele se defende do golpe que Ikki o daria pelas costas durante o abraço. Fênix revela ser na verdade o General Marina Kasa de Lymnades que conta que usou a mesma técnica com Seiya e Hyoga. Shun fica revoltado com essa maneira de Kasa agir, então ele usa o Onda Relâmpago, mas Kasa desaparece. O cavaleiro usa a Grande Captura de Andrômeda que prende o general. Shun vai dar o golpe de misericórdia no general que se transforma novamente em Ikki, mesmo insistindo, Shun não consegue atacar seu alguém com a imagem de seu irmão. Aproveitando da hesitação de Andrômeda, Kasa usa o golpe Salamandra Satânica e derrota Shun.


Kasa de Lymnades conseguiu vencer Hyoga, Seiya e Shun, mas acabou tendo problemas com Ikki!
Kasa de Lymnades conseguiu vencer Hyoga, Seiya e Shun, mas acabou tendo problemas com Ikki!

Capítulo 11: "Vingança enfurecida"

"Ikari no Hofuku"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Maio de 1989; no Brasil: Maio de 2013 (Editora JBC)

No Pilar do Oceano Índico, Kiki tenta reanimar Shiryu que manda ele seguir em frente. Kasa tenta desferir o golpe final em Shun, mas é impedido por um golpe do verdadeiro Ikki de Fênix que usa o Golpe Fantasma de Fênix que faz com que Kasa tenha a ilusão de enfrentar a si mesmo, como se o seu próprio golpe fosse usado contra si. Ikki então golpeia Kasa duas vezes, uma pelo Seiya e outra pelo Hyoga. Lymnades tenta usar o Salamandra Satânica, mas Fênix bloqueia e usa o Ave Fênix que lança o general longe. Ele se levanta e se transforma em Shun, tentando usar a mesma tática em Ikki, que não hesita e ataca Kasa, mesmo usando a imagem de seu irmão. Kasa tenta olhar mais fundo no coração do cavaleiro e encontra Esmeralda, transforma-se nela, mas só não consegue executar seu plano, pois não tem mais forças para lutar, assim ele cai morto. Ikki admite que se Kasa tivesse descoberto sobre Esmeralda um pouco mais cedo, ele teria derrotado Ikki. Kiki chega com a urna e Fênix usa a lança para destruir o pilar.


Isaak de Kraken, amigo de infância de Hyoga, é o General Marina do Oceano Ártico!
Isaak de Kraken, amigo de infância de Hyoga, é o General Marina do Oceano Ártico!

Capítulo 12: "Isaak! O amigo que veio do gelo"

"Aizakku! Koritsuita Kyuyu"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Maio de 1989; no Brasil: Maio de 2013 (Editora JBC)

Ikki parte para derrotar Poseidon, surpreendendo Kiki, pois ele não quer perder tempo destruindo os pilares primeiro. Hyoga se levanta e mesmo enfraquecido com o golpe de Kasa, ele parte determinado a destruir o Pilar do Oceano Ártico. Chegando lá, ele encontra-se com o General Marina que diz ter salvo a vida de Hyoga. Ele retira o elmo da armadura e revela ser Isaak, um rapaz que é cego do olho esquerdo. O cavaleiro de Cisne se ajoelha pedindo desculpa para o general que não tem dó e chuta Cisne. Hyoga tem um flashback em que se lembra do Isaak quando criança e adolescente treinando com ele na Sibéria, sob a tutela de Camus. Como pedido de desculpas, Hyoga permite que Isaak fure o olho de Hyoga também. Ambos têm um flashback do dia em que Isaak perdeu seu olho, ao tentar salvar Hyoga que tinha mergulhado no oceano para visitar o corpo de sua mãe e acabou preso no navio naufragado por causa da correnteza do Oceano. Isaak mergulha também e salva Hyoga, mas acaba sendo arrastado pela correnteza e perde o olho. Ele acredita que somente escapou da morte por causa de Poseidon e por causa do Kraken que ele viu momentos antes de escapar da morte. O general de Kraken golpeia Hyoga mais uma vez.


Hyoga de Cisne consegue superar a tristeza e enfrenta Isaak de igual para igual!
Hyoga de Cisne consegue superar a tristeza e enfrenta Isaak de igual para igual!

Capítulo 13: "A morte de um amigo"

"Tomo yo Shishite Mata"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Julho de 1989; no Brasil: Junho de 2013 (Editora JBC)

Isaak sente-se ofendido pois Hyoga diz que ele tem um cosmo que está sujo. Então o General usa o golpe Aurora Boreal, derrubando Hyoga. Kiki chega com a urna e vê Hyoga caído, Isaak então pede a urna para Kiki que se recusa em entregá-la. Isaak tenta tomar a Armadura de Ouro à força, mas Kiki não permite e defende corajosamente a armadura. O General quase o mata, mas Hyoga se levanta e deita Kiki no chão para descansar um pouco. O Cavaleiro de Bronze volta a enfrentar o General e derruba-o com o Pó de Diamante. Isaak tenta revidar com o Aurora Boreal, mas Hyoga bloqueia, porém a força do golpe faz com que a ferida causada por Kasa se abra e comece a sangrar. No Santuário, Aiolia de Leão questiona Mu de Áries sobre a ordem do Mestre Ancião de que os Cavaleiros de Ouro não devem sair do Santuário. No Pilar, Hyoga assume a postura da Execução Aurora, então Isaak prepara-se para se defender usando o Aurora Boreal, mas o golpe de Cisne é mais forte e o General é derrotado. Hyoga destrói o Pilar usando a Tonfa. Antes de morrer, Isaak revela para Hyoga quem realmente está por trás de todos esses combates, Hyoga fica revoltado, mas acaba desmaiando por causa da grande perda de sangue. No Santuário, os demais Cavaleiros de Ouro também questionam Mu. Ikki está indo para o Templo Submarino, mas encontra o General Dragão Marinho no caminho que golpeia Ikki com o Explosão Galática. Fênix reconhece esse golpe e o General tira o elmo e Ikki vê que ele é Saga de Gêmeos.


Shina de Cobra derrota a sereia Thetis com o golpe Garras do Trovão!
Shina de Cobra derrota a sereia Thetis com o golpe Garras do Trovão!

Capítulo 14: "Gêmeos! O Retorno"

"Jemini! Futatabi"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Julho de 1989; no Brasil: Junho de 2013 (Editora JBC)

O General Dragão Marinho fala que na verdade é Kanon, irmão gêmeo de Saga. Ele não gostade ser comparado a seu irmão e usa o golpe Triângulo de Ouro, que suga Ikki para outra dimensão. Shina percebe que o cosmo de Ikki desapareceu. Vendo a necessidade de chegar logo Poseidon, ela derrota Thetis com o golpe Garras do Trovão, e assim ela chega na sala do Imperador que está sentado em seu trono. Somente com seu cosmo, Julian Solo quebra a máscara da Amazona, que insiste em enfrentá-lo, mas ele a derrota usando o seu cosmo. Sorento de Sirene encontra-se com Kanon e o questiona sobre suas verdadeiras intenções, mas a conversa dos dois é interrompida ao sentirem um cosmo poderoso se aproximar. É Shun que chega ao Pilar do Atlântico Sul e começa enfrentar Sorento, que usa a Sinfonia Final da Morte. A sua sinfonia é interrompida por uma canção que vem do cosmo de Atena no Pilar Principal (que nesse momento já cobriu Saori inteiramente).


Aiolia de Leão queria ir até o santuário submarino ajudar Seiya, mas Mu o impede!
Aiolia de Leão queria ir até o santuário submarino ajudar Seiya, mas Mu o impede!

Capítulo 15: "Ecoe! A oração de Atena"

"Hibike! Atena no Inori"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Julho de 1989; no Brasil: Junho de 2013 (Editora JBC)

O General fica paralisado, pois a canção lhe causa o mesmo temor que lhe causou quando ele enfrentava Aldebaran (que naquela ocasião foi salvo por Saori, que interferiu na luta). No Atlântico Norte, Kanon sente alguns cosmos, enquanto que no Templo Submarino, Seiya chega até a sala do trono, ficando cara a cara com Julian Solo, que faz com que a parede do fundo da sala se abra, revelando o caminho para o Pilar Principal. Seiya ataca Poseidon com os Meteoros de Pégaso, mas o golpe volta-se contra si. Mesmo elevando seu cosmo e fazendo a armadura reluzir dourada, sua força não é o suficiente para impedir o golpe que Julian Solo dispara (que destrói a armadura de Pégaso), porém Seiya é salvo por Hyoga e Shiryu que o defende do golpe. No Santuário, Aiolia irrita-se e tenta partir para o Santuário Submarino, mas Mu diz que se ele sair do Santuário, o Cavaleiro de Áries será obrigado a matá-lo por traição a Atena. Para o alívio dos Cavaleiros de Ouro que se preocupam com Atena e os Cavaleiros de Bronze, a Armadura de Ouro de Sagitário sai do Santuário em direção ao Santuário de Poseidon. Enquanto isso, Julian Solo também destrói as armaduras de Shiryu e Hyoga que caem ao chão. Seiya se levanta para continuar a lutar contra Poseidon, nisso a Armadura de Ouro chega e Seiya à veste (para desespero de Kanon que sente o cosmo da Armadura). Então o Cavaleiro de Pégaso aponta o arco de Sagitário em direção ao Deus dos Mares.


Julian Solo, já como Poseidon, adverte Seiya sobre o disparo da flecha de Sagitário!
Julian Solo, já como Poseidon, adverte Seiya sobre o disparo da flecha de Sagitário!

Capítulo 16: "Conflito! As duas almas"

"Sokoku! Futatsu no Tamashii"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Julho de 1989; no Brasil: Junho de 2013 (Editora JBC)

Julian Solo adverte Seiya de que se ele disparar a flecha, ela voltará contra Seiya. No Pilar do Atlântico Sul, Shun e Sorento ainda se enfrentam. O General destrói as correntes e a armadura de Andrômeda com a Sinfonia Final da Morte. Shun é afetado também pelo golpe. Mas Sirene é preso numa corrente de ar feita pelo Cavaleiro que diz que se ele tocar mais uma nota, a corrente ficará mais forte matando o General. Sorento desafia Andrômeda utilizando o golpe Clímax Final da Morte, mas ele é derrotado, pois Shun usa a Tempestade Nebulosa. Kiki chega e tenta reanimar Shun. Seiya ainda ameaça Julian Solo com a flecha, então eles ouvem no Templo o barulho do Pilar do Atlântico Sul sendo destruído. No Atlântico Norte, Ikki reaparece, Kanon usa o Explosão Galática, mas Ikki diz que nem mesmo Saga conseguiu derrotá-lo com esse golpe e que Kanon é muito inferior ao seu irmão. Fênix usa o seu Golpe Fantasma que faz com que Dragão Marinho tenha um flashback de quando treze anos antes, Saga percebe que Kanon tem um coração maléfico e então o prende na prisão do Cabo Sunion.


Seiya ignora os avisos de Poseidon e atira a Flecha da Justiça no deus!
Seiya ignora os avisos de Poseidon e atira a Flecha da Justiça no deus!

Capítulo 17: "O mistério da ressurreição do Rei dos Mares"

"Kaio Fukkatsu no Nazo"

Lançamento em tankobon no Japão: 10 de Julho de 1989; no Brasil: Junho de 2013 (Editora JBC)

Seiya atira a flecha que volta contra si, insistente ele atira novamente, a flecha se volta, mas atinge Shina que entrou na frente para proteger o seu amado. Ainda sob o efeito do Golpe Fantasma, Kanon conta para Ikki que no Cabo Sunion foi salvo muitas vezes por um cosmo desconhecido, e que um dia tentando fugir ele encontra o tridente de Poseidon que está com o selo de Atena, ao encostar-se no Tridente, ele é transportado para o Templo de Poseidon. Kanon entra numa sala onde estão as sete escamas dos Generais e a escama de Poseidon, também um ânfora que contém a alma do verdadeiro Poseidon. Kanon a abre e desperta a alma do deus que o questiona. Com medo, Kanon inventa a desculpa que é o General Dragão Marinho e que o desperto porque Atena reencarnou novamente. Irritado com essa notícia, Poseidon diz que irá habitar o corpo de Julian Solo e que quando chegar a hora irá despertar. Kanon então planeja a guerra com a intenção de que tanto Julian quanto Saori morram e assim ele assuma o comando do planeta.


Ikki aplica o Golpe Fantasma de Fênix em Kanon de Dragão Marinho, que acaba revelando todo o seu plano!
Ikki aplica o Golpe Fantasma de Fênix em Kanon de Dragão Marinho, que acaba revelando todo o seu plano!

Capítulo 18: "Atire! Flecha Dourada"

"Ute! Ogon no Isshi"

Lançamento em tankobon no Japão: 8 de Setembro de 1989; no Brasil: Julho de 2013 (Editora JBC)

Kanon é atingido pelo efeito do Golpe Fantasma. No Santuário, a Armadura de Aquário também parte para ajudar os Cavaleiros de Bronze. Shina insiste para que Seiya dispare a flecha de novo que ela irá defendê-lo, sem alternativa, Seiya aceita, mas quem o defende dessa vez é Shiryu. O Dragão não se importa e entrega a flecha para Seiya tentar de novo, Hyoga e Shun que acabou de chegar também entra na frente de Seiya para defendê-lo caso a flecha volte. Vendo que dessa vez os seus amigos também correm perigo, Seiya eleva seu cosmo ao máximo e dispara a flecha. Graças ao cosmo dos cinco cavaleiros, a Flecha Dourada atinge o elmo de Julian que desperta e fica em choque, pois não entende como parou ali. Os cinco cavaleiros atravessam a sala e passam por Julian que não reage. O rapaz começa a se questionar, até que o cosmo dele se eleva e a alma do verdadeiro Poseidon desperta. Sorento de Sirene ao Pilar do Atlântico Norte junto com Kiki que entrega o escudo da Armadura de Ouro para Ikki que destrói o Pilar. Como Sorento vê que tudo era na verdade um plano de Kanon, ele decide abandonar a batalha. Ikki pede para Kiki levar a urna para os outros, pois ele ainda quer descobrir como derrotar Poseidon. Os cinco cavaleiros são impedidos de chegar até o Pilar Principal por Poseidon que toma a frente da batalha. Seiya tenta seguir em frente, mas Poseidon dispara seu golpe que atinge Hyoga que entra na frente. O Cavaleiro de Cisne insiste para Seiya seguir em frente, Poseidon vai eletrocutá-lo porém a Armadura de Ouro de Aquário protege Hyoga que a veste.


Hyoga, vestindo a Armadura de Aquário, surpreende Poseidon!
Hyoga, vestindo a Armadura de Aquário, surpreende Poseidon!

Capítulo 19: "As três flechas"

"Sanbon no ya"

Lançamento em tankobon no Japão: 8 de Setembro de 1989; no Brasil: Julho de 2013 (Editora JBC)

Hyoga usa a Execução Aurora contra Poseidon, que revida. O poder de ambos os golpes forma um esfera de energia que paira no ar, mas Hyoga não aguenta mantê-la e se rende, mas é defendido por Shiryu com o Escudo da Armadura de Ouro de Libra. A Armadura de Ouro chegou ali através de Kiki que usou o resto de suas energias para se teleportar com a armadura. Shiryu então veste a armadura. Usando o Cometa de Pégaso, o Cólera do Dragão e o Execução Aurora, Seiya, Shiryu e Hyoga se unem e derrubam Poseidon. Os três então seguem para o Pilar Principal.


Shiryu, vestindo a Armadura de Libra, tenta destruir o pilar principal!
Shiryu, vestindo a Armadura de Libra, tenta destruir o pilar principal!

Capítulo 20: "Destruam! O Pilar Central"

"Hokai! Mein Buredowina"

Lançamento em tankobon no Japão: 8 de Setembro de 1989; no Brasil: Julho de 2013 (Editora JBC)

Shiryu tenta destruir o pilar com o Escudo de Libra que é destruído. Hyoga tenta usar a Tonfa, mas a arma também é destruída. Seiya utiliza a Lança, mas ela também não surte efeito. Então os três tentam usar ao mesmo tempo o Tridente, a Barra Tripla e a Espada. Ikki ainda enfrenta Kanon, Sorento tenta interferir na luta, mas Ikki não permite. Fênix pergunta para Kanon onde está a Ânfora de Atena, a única arma capaz de derrotar o deus dos mares. No Pilar Principal, as três armas são destruídas e Seiya diz que Hyoga e Shiryu devem lançá-lo utilizando seus golpes, ele pode morrer, mas é a única maneira de destruir o Pilar e salvar Saori. Enquanto isso, Ikki diz para Kanon que ele tem uma dívida com Atena, pois era dela o cosmo que o salvou tantas vezes no Cabo Sunion, irritado, o Dragão Marinho diz que a ânfora está dentro do Pilar Principal presa também com Atena. Ikki dá às costas para Kanon e diz que nem vale a pena lutar com ele, então o cavaleiro parte para o Pilar Principal. Sorento diz para Kanon que o cosmo de Atena mudou sua opinião sobre o planeta, pois ele viu que ainda há bondade e por isso ele se retirará da guerra. Hyoga e Shiryu se preparam para atirar Seiya, mas Poseidon eletrocuta-os. Ikki chega e agarra Poseidon por trás para os cavaleiros, porém destruir o Pilar, então Shiryu e Hyoga utilizam o Cólera do Dragão e o Pó de Diamante, arremessando Seiya. Poseidon derruba Ikki, Hyoga e Shiryu. Ele tenta atingir Seiya também, mas o Cavaleiro supera a Velocidade da Luz com o seu cosmo e atinge o Pilar vai abaixo junto com todo o Santuário Submarino. Seiya resgata Saori e faz o caminho de volta do Pilar. Poseidon tenta destruir Seiya, mas seu Tridente é impedido por Atena que se levanta para derrotar Poseidon.


Saori aprisiona Poseidon novamente na Ânfora de Atena!
Saori aprisiona Poseidon novamente na Ânfora de Atena!

Capítulo 21: "Além das ondas azuis"

"Aoki Hato no Hate"

Lançamento em tankobon no Japão: 8 de Setembro de 1989; no Brasil: Julho de 2013 (Editora JBC)

Saori está com a Ânfora que pode prender Poseidon. Seiya prepara o arco para atirar a flecha contra Poseidon novamente, mas Saori intercede por ele dizendo que ele está no corpo de Julian Solo e o rapaz não tem culpa, pois foi possuído por Poseidon. O deus dos mares atira seu Tridente contra os dois, mas Kanon entra na frente protegendo-os e sendo atingido pelo Tridente, então ele cai derrotado. Saori abre a ânfora que prende a alma de Poseidon novamente. Saori e Seiya começam procurar o corpo de Julian para salvá-lo, mas Thetis chega primeiro ao corpo e diz que ela vai salvá-lo, pois tem uma divida com ele, então ela tem um flashback que mostra que quando Julian era criança, ele salvou um peixe que está preso numa linha de pesca e que ela é esse peixe. Todo o Santuário é inundado. Dias depois no Cabo Sunion, Julian (que não se lembra de nada) conhece um rapaz chamado Sorento que toca flauta, Sorento se dispõe a ajudar Julian que quer reconstruir os lugares destruídos pelas chuvas torrenciais dos dias anteriores e as pessoas que foram prejudicadas por elas. Julian encontra um peixe que está morto e cheio de feridas na areia, ele devolve o peixe para o mar onde é o seu lugar, mas Sorento vê o peixe se mexer e desaparecer no Oceano.


voltar para o topo da página

última atualização realizada em: 20/01/2017