3DCG: rápida análise da estreia da 2ª temporada do remake/reboot dos Cavaleiros do Zodíaco!

📅domingo, 31 de julho de 2022, as 22h12min
Escutar a notícia
TTS (Text to Speech): agora fãs com deficiência visual poderão acompanhar as notícias dos Cavaleiros do Zodíaco de uma forma mais acessível. Basta clicar no botão "play" para escutar! Aos poucos iremos aprimorando a pronúncia de alguns termos, padronizando com o que é utilizado no Brasil.
Valeu a espera. A segunda temporada do anime remake/reboot em 3DCG dos Cavaleiros do Zodíaco finalmente estreou, desta vez no sistema de streaming Cryunchyroll (lembrando que a primeira temporada, que foi dividida em duas partes, era transmitida pela Netflix).

As promessas do diretor Yoshiharu Ashino, de uma temporada mais fiel ao mangá/anime, com adaptações mais sólidas, se concretizaram nos dois primeiros episódios.

Entretanto alguns "estragos" são definitivos e não podem ser consertados. Em uma analogia, queria eu que pudessem ser consertados como o Mu de Áries faz com as Armaduras de Bronze. O caso mais emblemático é o da Shaun, o Shun mulher agora (eu não consigo chamar este personagem de Shun, então para mim é a Shaun mesmo). É uma herança maldita que a série vai carregar até o fim, não tem como gostar desta parte depois de ter assistido várias vezes a primeira temporada. Por que não utilizaram a June como protagonista junto aos cinco Cavaleiros de Bronze? June inclusive aparece com o Daidaros de Cefeu, mestre dela e do Shun, na abertura (que é a mesma da primeira temporada, mas como modificações na parte final).

Já o plot do Grande Mestre se mostrou muito interessante, mostrando a passagem do Cosimodo (ou Quasimodo, personagem que sempre existiu no mangá) e que enaltece o porque dos Cavaleiros de Ouro serem fiéis ao Grande Mestre. Tacada de "Mestre" aqui. O mesmo vale para a utilização da Armadura de Taça, mostrando a derrota do Santuário de Atena para Poseidon e Hades, em um cenário catastrófico para a humanidade. Lembrando que o conceito de multiverso foi "aberto" em Saint Seiya há algum tempo já, então, neste quesito, aqui tudo é válido.

Para assistir os episódios, é preciso ser assinante do Crunchyroll. O plano mais barato custa R$ 14,90 e podemos dizer que vale muito a pena, mesmo se você é apenas fã de Saint Seiya e não curte outros animes. A assinatura se mostrará importante pois tudo indica que serão disponibilizados um episódio por final de semana. Lembrando que esta segunda temporada possui 12 episódios e vai até a luta na Casa de Virgem.

Por fim, uma crítica ao fato dos fãs brasileiros não terem a dublagem em português na estreia. Os episódios estão dublados em japonês, inglês e espanhol, com legendas em português, e a dublagem em português estava confirmada para a estreia, porém problemas técnicos e de bastidores causaram este verdadeiro pecado! Os fãs podem ficar tranquilos que a dublagem em português vai ser disponbilizada, mas ainda não existe data confirmada para isso. De qualquer forma, ficou um gosto amargo, ainda mais para o público brasileiro, que tanto ama os dubladores e não merecia isso nesta altura dos acontecimentos.

No decorrer da semana publicaremos diversas screenshots (capturas) dos episódios, bem como providenciaremos uma seção caprichada com resumos destes novos episódios. Fiquem ligados!
📷
Total: 23 imagens
📷

Estatísticas de Acesso

Total de Acessos na Notícia:

Quem além de você está acessando esta notícia agora?

Fã-Clube: Anônimo: App:

Comentários dos Fãs


o que foi publicado no dia 31 de julho dos anos anteriores?